Mon coeur mis à nu


Resignação
November 26, 2007, 22:14
Filed under: Uncategorized

Resignação illustrated A difusão da arte em meu meio tem me causado infindáveis embaraços. Tentei, inúmeras vezes, adentrar por mim mesma nesse meio, mas levei mais tapas na cara do que qualquer criatura poderia levar. Tentei tirar fotos, mas tantos ensaios fiz do meu dedo indicador, ou de aparentes fantasmas, que passei a desistir desse tipo de arte. Tentei também o desenho, inúmeras vezes. Desse tempo, restou-me cansaço, muitos lápis 6B e alguns croquis semi-decentes de moda, mas que hoje em dia me parecem cada vez piores. A música não posso dizer que tentei. Sorte, portanto, de minha família, pois meu ouvido não é dos melhores, tão pouco minha habilidade coordeno-rítmica, e menos ainda meu repertoire.

Frustrada com minhas categóricas humilhações diante de meus artsy-pseudo-friends, venho aqui para declarar meu atestado de óbito artístico; cansei de ser rejeitada inúmeras vezes por minha falta de talento, e passarei a partir de agora de aceitar, resignada, minha posição inferior diante de geniais criadores. Não vou mudar o mundo com meus desenhos, nem elucidar mentes com minhas hablidades musicais. Não vou tentar fotografar ninguém, prometo, a não ser em festas infantis nas quais seja possível escapar – já que serei a única sem um infante em punho. Cansei dessa eterna rejeição, senhoras e senhores, e aqui me aposento da arte e me condiciono a bureaucracia que tanto me acomete, frustra, mas que soluciona. Aqui jaz, para o bem da humanidade, minha auto-estima artística e meu conjunto de tentativas.


2 Comments so far
Leave a comment

Darling,

Aqui vai um recado da oposto semelhante que entende beem do que está sendo falado.
Não posso me gavar, mas também não posso reclamar dos meu dotes artísticos. Nunca foram por mim muito salientes, mas não passei total vergonha nas aulas de desenho, piano, violino e whatsoever zilhões de coisas diferentes que por serem tão diversas não me ajudaram em nada para tomar uma decisão com firmeza no vestibular e acho que em mais nenhuma decisão que eu possa ter pela frente.
Alguns vem com o tal “de médico e louco, todo mundo tem um pouco”. Eu sou mais do “de artista e louco (será que são sinônimos?), todo mundo tem um pouco”.
Se eu soubesse escrever como a senhora não estaria tendo aula de redação pra aprender a usar sinônimos e não repetir 3.543 vezes a mesma palavra e nem simplesmente jorrar idéias no papel sem link esperando que o leitor tenha muitos neurônios ou criatividade fértil.
Também dá pra filosofar mais e dar uma de pseudo bitch intelectual com o papo de que “Viver é arte” e blá blá. Mas eu realmente acredito que tem arte em Luíza.

Falta pouco… qualquer coisa já sabe. Sempre teremos nossos planos B.
Beijo Castro.

Comment by Alice

mas você ainda podia incursionar pela ficção! a sua história dialogada, que eu postei no meu blog, há muito tempo, fez o maior sucesso. ;)

Comment by tiago




Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: